*****


Ser e viver a filosofia rotária

Atuações do Rotary na Comunidade. PREVENIR É PODER

Prof. Dra. Ana Maria Fonseca Zampieri


Há diversas motivações pelas quais alguém possa desejar integrar-se ao espírito filosófico rotário.

O que me atraiu no Rotary, foram as inquietudes de pessoas que conheci com as desigualdades do mundo social, da educação e da saúde. Conheci o Psicodrama e descobri uma proposta de tratamento dirigido aos grupos, aos casais e, às famílias, numa abordagem mais democrática, onde o poder do pensar e do analisar do psicoterapeuta, estava a serviço do ser humano.

Casada e mãe de quatro filhos, em 1986, conheci a terapia sistêmica de famílias e os ensinamentos da Física Quântica, onde até os cientistas das ciências chamadas exatas, mostravam como as verdades são complexas e emaranhadas. As verdades sobre "normais" e "patológicos" são relativas e contextualizadas.

"Aprendi que era preciso crer para ver".

No presente, nós do Distrito, num projeto de educação para famílias, na luta contra a gravidez precoce, o HIV e a Aids e o abuso sexual intrafamiliar, porque cremos na existência da dor que não faz ruído, não é visível a olhos iludidos pela sociedade que maquia situações e está a serviço do poder dos que se julgam mais fortes pela raça, pelo poder econômico e pelo poder culturalmente criado de gênero.

No Brasil de cada 100 crianças que nascem, 20 têm mães com menos de 15 anos. Cada vez mais, mulheres de todas as idades e classes sociais, mas especialmente as mais carentes, submetem-se a uma sexualidade desrespeitosa e infectam-se de HIV , de HPV ou de outras DSTs , de seus maridos e pais de seus filhos.

A cada 20 segundos no mundo, alguém morre de Aids, crianças inocentes, que não sabem distinguir carinhos de carícias sexuais, estão sendo abusadas por seus pais, tios, avós, irmãos maiores, padrastos e vizinhos.

Se "cremos, então vemos", pois vivemos numa sociedade onde a invisibilidade pode nos iludir sobre sabermos o que acontece de fato, e não nos alertar a ver o que existe que não vemos.

Conheci, em 1992, uma colega psicóloga, a Edda Maffei do Rotary República, que me convidou a fazer terapia com moradores de rua na Igreja da Consolação.

Descobri no Rotary pessoas companheiras verdadeiramente, na co-responsabilidade por uma vida que faça sentido, na crença de que podemos não mudar o mundo como eu acreditava na juventude, mas na transformação de vidas mais justas, na parceria pela educação e saúde mais igualitárias.

Com parceiros do Distrito, da PUC de SP, da F&Z e de outros do Brasil e de Londres, a Elton John Aids Foundation através da ASF, atendendo, pelo chamado Sociodrama Construtivista da Aids, (método que desenvolvi e que foi aprovado em teses de mestrado, doutorado e agora
de pós-doutorado) cerca de 11 mil adolescentes e suas famílias e educadores.

Este é o nosso projeto PREVENIR É PODER, com o qual vamos até a comunidade e lá desenvolvemos com as famílias, durante 8 horas em um sábado, sempre em co-autorias, o que chamamos de capacitação e sistematização de nossos poderes contra a Aids, o HIV, o HPV, a gravidez precoce e a violência sexual.
No ano passado, 2007, fizemos isto no Butantã em São Paulo, em Paranoá em Brasília e na cidade de Goiânia.

Este projeto tem vários produtos, entre eles a confecção de uma cartilha especialmente elaborada para e a partir dos aprendizados das comunidades, que têm sido distribuídas ao final desses workshops, para as famílias e educadores.

Temos 20 mil exemplares até o momento.

O lema "Dar de si antes de pensar em si", nestes trabalhos, transforma-se em "dando-nos recebemos em ato contínuo", pois é na co-elaboração de nossas forças, sentimentos, crenças, valores e atitudes como cidadãos, que os encontros de psicoeducação são combustíveis de emoção, amor e desejo de multiplicação, compartilhando, o que nos faz sentir humanizados.

A Filosofia rotária não existe somente em nós, se renova em nós.

Sou muito grata à Edda por ter insistido em reapresentar-me ao Rotary e aos companheiros corajosos do Butantã e do Distrito, pela parceria em fazer de temas tabus como: sexo, doenças sexuais, Aids, gravidez precoce e abusos sexuais; temas do cotidiano de nossas educações como famílias. O PREVENIR É PODER tem vários projetos de expansão e continuidade em nosso país e, quem sabe, na África, onde está a metade dos jovens infectados em todo o mundo.

Desejo para este 2009 que muitos outros companheiros engrossem nossas fileiras.

Prof. Dra. ANA MARIA FONSECA ZAMPIERI - RCSP Butantã
Doutora, mestre e pós-doutoranda em Psicologia Clínica. Psicodramatista
Fonte: Assessoria de I
mprensa

Ana Maria Fonseca Zampieri  
Mestre e doutora em Psicologia Clinica. Pós-graduada em terapia de casais e famílias. Terapeuta sexual. Psicodramatista. Formação em E M D R. Escritora de livros sobre casamento e sexualidade na vida conjugal. Diretora de Ensino e Pesquisas da F&Z Assessoria e Desenvolvimento em Educação e Saúde S/C Ltda.                                         (anamfzampieri@uol.com.br)



Voltar à página principal

  



Subir ^^